Re & Saulo no mundao!! travel blog

Ferry para Fraser Island

Lake Machenzie

 

 

 

Carro atolado

Naufragio

Preparando o rango (sem ovo!)

Lavando louca

A festa

Olha o olhinho do Saulo!

Atolamos de novo!!

 

 

Olha o tamanho da agua viva!!!

Lake Wabby

A turma


Imaginem o que pode acontecer numa ilha de areia, 11 mochileiros, um jipe 4x4 carregado de caixas de comida e bebida, cachorros selvagens, mares infestados de águas-vivas assassinas e tubarðes.... Foi muito legal!

Chegamos atrasados para as instruções do tour para Fraser Island. Tomamos uma bronca do grosso dono do albergue e entramos na sala. Lá tinham 9 crianças entre 19 e 24 anos... meu Deus, já somos um tiozinhos. Rs...., na reunião nos alertaram dos perigos da ilha. Lá é a casa de centenas de Dingos, o cachorro do mato da Australia, parecem um vira-lata magro de pêlo laranja. Na ilha não é permitido nadar para evitar a morte por queimaduras das águas-vivas assasinas e dos tubarðes tigres. Nossa missão era dirigir o jipe 4X4, evitar a água, acampar, cozinhar e tentar nos dar bem e nos divertir ao mesmo tempo. Fáacil, fácil....

O grupo de 7 alemães, 1 chinesa, 1 belga e 2 brazucas - nós, saiu de Hervey Bay deixando pra trás todo o conforto da civilizaçâo. Nâo havia guias, cozinheiros ou restaurantes ... só as belezas naturais da maior ilha de areia do mundo!

Ao desembarcarmos do ferry já percebemos que o maior desafio seria não atolar o carro. O último grupo que chegou da ilha teve que pagar mil dólares porque ficaram atolados e a água do mar chegou até o carro, estragando o motor... a tensão estava no ar e as pessoas tentavam se apresentar entre um solavanco e outro. Descobrimos que o grupo era bem bacana, o problema (pra mim) é que só tinham 2 homens no grupo pra fazer todo trabalho pesado de carregar e descarregar as tralhas de cima do carro. Depois de 3 dias, minhas costas doíam pra chuchu. Motoristas: só o Mathias, um simpático alemão, e eu. A Rê era a navegadora do grupo. Mandou muito bem. Claro que atolamos o carro algumas vezes, tivemos que cavar, empurrar, pular e fugir da maré alta que invade a praia.

A praia é rua e aeroporto. É preciso ficar atento ao que vem de cima também. O camping era selvagem, sem banheiros ou chuveiros, só espaço no chão para as barracas. O primeiro dia tomamos banho no lago Mackenzie, maravilhoso com vários tons de azul. A noite descobrimos que para não deixar cheiro da comida para os Dingos, era necessário lavar os pratos no mar a noite. O lixo deveria ser trancado dentro do carro para evitarmos os ataques. O cheiro no dia seguinte era maravilhoso.

A comida, que já era ruim, ficou pior quando todos os ovos quebraram na caixa térmica, se misturou com a água do gelo e inundou toda comida dos nossos 3 dias. Era um tal de geléia de morango ter gosto de ovo... e o cheirinho da maçaroca... Diliciaaaa!

Nestas circuntâncias, fizemos o que todo ser humano faria, bebemos pra esquecer! Armamos um churrasco com outra turma que acampou perto da gente e acabamos com todo o álcool, que deveria durar 3 dias. Eram risadas em várias linguas, jogamos VRUM e jogos de bebida da China, Bélgica, Alemanha... uma ONU alcoólica! Nos divertimos muito!

Além de toda a farra, tínhamos que ser pontuais pra maré não encher e ficarmos sem "rua". Acordar às 6 da manha de ressaca, depois de dormir no chão, é uma proeza!

Fraser têm 5 atrações principais, o lago que já mencionei, um navio que naufragou nas suas praias, um monte chamado Indian Heads, que tem uma vista maravilhosa do mar azul, as dunas do lago Wabby e as piscinas de Champagne, único lugar da ilha que se pode entrar no mar porque é protegido por pedras!

Voltamos cansados, famintos, mas nos divertimos muito! A viagem também ajudou a valorizar as pequenas coisas da vida, como uma cama e um banho quente, mesmo sendo o coletivo do albergue...hahaha.

Nada como a civilização....mas um pouco de aventura foi bom!!



Advertisement
OperationEyesight.com
Entry Rating:     Why ratings?
Please Rate:  
Thank you for voting!
Share |